segunda-feira, 30 de setembro de 2013

A formação dos partidos políticos.

Está em discussão e frequentemente aparece em notícias de jornal a questão da formação dos partidos políticos. Um partido para existir, resumidamente, deve se constituir como qualquer pessoa jurídica e depois partir em busca do apoio dos cidadãos pelo país. O partido em formação, então, espalha seus militantes por diversos bairros, cidades, estados... colhendo assinaturas. Por vezes utilizam-se de artifícios para convencer o cidadão a assinar o apoio. Muitas vezes você nem sabe que está apoiando para a criação de um novo partido. São necessárias milhares de assinaturas que depois são apresentadas nos cartórios eleitorais. Os cartórios por sua vez conferem as assinaturas uma a uma, comparando-as com as assinaturas feitas pelos eleitores, na maioria das vezes, nos cadernos de votação pouco antes de irem às urnas. É para refletir e ficar atento e não sair assinando qualquer coisa que lhes apresentem sem ter pleno conhecimento do que se trata. Hoje em dia, como a regra da fidelidade partidária está sendo exigida, os políticos passaram a criar partidos, não como reflexo de um movimento político ou de um movimento social, mas pura e simplesmente para poder se retirar do partido (enfim, trocar de partido) sem perder mandato. Os políticos continuam infiéis e com o agravante de nos brindar com uma produção em série de partidos políticos vazios.