quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Igualdade de gênero em pauta!

Uma em cada três mulheres já sofreu violência física ou sexual em sua vida. É um dado absurdo e uma informação extraí do site da ONU MULHERES que está numa campanha iniciada em 25 de novembro e vai até 10 de dezembro com ações no mundo todo para tentar conscientizar e eliminar este tipo de violência da sociedade.

http://www.heforshe.org/
http://www.unwomen.org/es/news/in-focus/end-violence-against-women


As mulheres sofrem com a violência doméstica, violência sexual, violência velada de situações da vida que são consideradas normais como o "fiufiu", a discriminação sexual para conseguir um emprego, na diferença salarial, etc.

Muitos movimentos já se consolidaram em apoio a igualdade de gênero.


Para além da violência, vamos abrir os olhos e ter mais cuidado principalmente dentro das nossas casas, como estão distribuídos os trabalhos domésticos. Uma das críticas fundamentais da teoria política do feminismo passa pela distribuição dos trabalhos domésticos. Como pode a união do casal significar para uma das pessoas, automaticamente, a assunção de todos os afazeres domésticos e a abdicação da carreira e para a outra não?


Outra questão fundamental é como abordar a discriminação sexual que de fato existe. Considerar igualdade de oportunidades aos homens e as mulheres não é suficiente. "Dado que ainda se espera que as mulheres tomem conta dos filhos em nossa sociedade, os homens tenderão a se sair melhor do que as mulheres ao competir" por vagas que exijam que a pessoa não seja a guardiã primária de uma(s) criança(s) em idade pré-escolar (Catherine Mackinnon citada por Will Kymlicka Filosofia política contemporânea, Martins Fontes, 2006, p.308).