sexta-feira, 25 de outubro de 2013

A necessidade de valorações versus convicções morais?

Para o estudante de Direito fica uma inquietante provocação da Professora Claudia Toledo no texto que introduz a edição brasileira da obra de um dos grandes jusfilósofos da atualidade Robert Alexy [Teoria da Argumentação Jurídica. São Paulo: Landy Editora, 2ª ed.]: "é um equívoco, portanto, deduzir, da existência e necessidade de valorações, uma abertura indiscriminada para convicções morais subjetivas. Isso só ocorrerá se não houvesse qualquer  maneira de objetivar essas valorações".

Objetivar as valorações?? Para a citada professora, Pós-Doutora em Filosofia do Direito pela UFSC, esse desafio foi enfrentado por Robert Alexy na obra referida. Não há razão para nos prolongarmos, a leitura é muito interessante.

Nenhum comentário: