sábado, 10 de abril de 2010

Os problemas expostos na tragédia...

A tragédia que ocorre no Estado do Rio de Janeiro é simbólica por expor várias mazelas simultaneamente e de certa forma realçar o perfil do político brasileiro.

Da forma como ocorreram as coisas não parece haver o tratamento adequado do nosso lixo. A partir da tragédia da comunidade que se ergueu sobre um lixão aterrado, os noticiários já se apressam em "descobrir" outras comunidades sobre lixões. Desses fatos pode-se com convicção concluir que para nossos políticos o que não está visível passa a ser menos importante.

Sobre a atuação da prefeitura de Niterói, por exemplo, não se pode dizer que houve omissão. A prefeitura estava presente, inclusive com diversos programas sociais como informou o prefeito. O que ocorreu foi a decisão errada, foi a inversão das prioridades, a necessidade de propor medidas populares ao invés de decisões políticas de análise crítica da situação. Atuação para as urnas ao invés de cuidar da cidade, da coisa pública. É esse o perfil de nossos políticos.

Outra mazela exposta pela tragédia é a questão da moradia. As cidades que crescem precisam destas pessoas que se instalam nas favelas. É dever de quem governa uma cidade planejar o seu crescimento.

Os anos passam e é angustiante pensar que as decisões são tomadas de tragédia em tragédia. Isso indica que os políticos estão ignorando o que importa para reformar a fachada, dar uma bela mão de tinta e ir empurrando os problemas para o próximo mandato. Taí outra característica.

Nenhum comentário: