terça-feira, 13 de maio de 2008

Enquanto houver hoje...

A vida hoje anda tão mecanizada que, não raro, as pessoas não percebem o quanto ela pode nos fornecer princípios de vida nas situações mais simples do cotidiano. Falo em perceber, no sentido de refletir sobre os acontecimentos da realidade, tal qual tentamos fazer aqui no Questão Atual. Lembre-se: olhar um quadro de um artista não é o mesmo que percebê-lo.

Segunda-feira, 21 horas, chego do trabalho (em São Paulo), cansado, e resolvo ir ao restaurante do Flat, onde moro, para jantar. Para quem não sabe, esse é o dia em que costumo iniciar minha dieta (o término é na sexta, quando vou para o Rio). Pois bem. Pedi ao garçom, óbvio, um prato cheio de salada com frango grelhado (não sei qual foi o gordo desalmado que inventou essa combinação!!!). Após me “empanturrar”, resolvo pedi a conta, quando veio a “infeliz” pergunta:

- Não vai querer sobremesa, hoje?

De fato, na sexta passada eu já havia pedido sobremesa, por isso a pergunta do garçom. Foi quando fui tomado por um súbito pensamento racional: “claro que eu não vou querer. Acabei de começar minha dieta, depois vou ficar com peso na consciência”.

- Quero. Traz para mim o de sempre (petit gateu).

Com certeza o inventor desse doce devia ser magro. Misturar sorvete de creme com um bolinho com recheio de chocolate derretendo dentro é de uma genialidade incrível. Gordo não tem capacidade para inventar essas coisas (só para comer). Para completar, o gerente do restaurante passa na hora e comenta:

- Aí Julio, comendo sobremesa!
- É só hoje – respondi o que havia dito da última vez.
- Enquanto houver hoje... – retruca o gerente rindo.

Talvez ele não tenha percebido, mas aquele início de frase “Enquanto houver hoje...” é um grande princípio para resolver pensamentos negativistas que surgem em nosso dia-a-dia. Na hora em que ele retrucou, eu completei a frase mentalmente: “Enquanto houver hoje...não precisarei do amanhã” e fiquei refletindo sobre ela. Muitas vezes, problemas que transferimos para o amanhã poderiam ser resolvidos hoje. Isso em qualquer situação: relacionamentos, trabalho, amizades, filhos, etc. Outros tantos, criamos hoje em nossa mente, sem sabermos se eles existirão amanhã. Nos preocupamos à toa.

Moral da história: Para que comer o petit gateau só na sexta se eu posso comer na segunda!?

6 comentários:

Leo Saoli disse...

A frase realmente é muito bonita, "enquanto houver hoje...", suscita reflexão profunda, mas vou começar minha dieta amanhã msm...

Julio Cesar Oliveira disse...

Pior que agora eu começo a dieta na segunda e termino na terça..nem espero mais chegar no Rio..hahahha

Fred Alencar disse...

hahahaha
Esse negócio de dieta é um problema. Perdi quase 4kg quando fiquei doente na semana passada. Bastou um "Dia das Mães" com feijoada para recuperar tudo que perdi.
Então pra quê deixar pra amanhã, o que você pode comer hoje?

O lance é praticar esportes..dietas não estão com nada.

Leo Saoli disse...

O assunto gera mutia polêmica, enquanto houver hoje mantenho minha promessa de começar amanhã...
que o hoje nos proteja!!!

Julio Cesar Oliveira disse...

Engraçado...várias pessoas que falaram comigo sobre o artigo prestaram a atenção mais na dieta do que no princípio que eu quis enfatizar. Talvez eu não tenha sido tão claro. Em fim...rs. Voltemos a prancheta filosófica.

Clarissa disse...

Eu entendi a sua mensagem, mas a sobremesa é tão gostosa que não dá pra não pensar nela... Talvez se você tivesse usado isca de fígado com polenta...